Mais de meninos e meninas

Nada de flores, chocolates e mariatches. Os tempos mudaram, elas não querem mais que façamos tudo por elas, roubam cada vez mais nossos empregos, então temos que tratalas de um novo modo também.
Tudo mudou desde o tempo em que tínhamos que abrir a porta a pagar a conta, se elas não trabalhassem seriam menos pessoas no mercado de trabalho e provavelmente nosso salários seriam melhores. Agora elas têm independência e serem tratadas como iguais, ou seja, aquele olhar fulminante jogamos sobre nossos adversários não deve se tornar em sutilezas ao passarem por elas.
Aquela velha educação que recebíamos de lhes dar preferência já não pode ser aplicada, pense como seria passa-las à frente em todas suas entrevistas de empregos.
Antes quando elas apenas cuidavam de nossos filhos e de nossas casas devíamos muitos salários atrasados (li uma reportagem de quanto custa uma mulher, incluindo salários como de diarista, babá, cozinheira, etc.), agora nossos interesses estão mudados, queremos ser aliados delas.
Mas tem sempre aquilo que nunca muda, provavelmente nunca deixaremos de morrer de amores por elas e o modo fresco como vêem as coisas. =D
Related Posts with Thumbnails

Um comentário:

Dame sans merci disse...

O verbo é "roubam"presente e não "roubão" futuro.Na terminação "rão" o "rã" é uma desinencia modo temporal,que serve para dizer que o verbo pertence ao tempo futuro do modo indicativo.Quanto ao "o" é a desinencia de número e pessoa do verbo,para dizer que o verbo se refere á pessoa "elas",pronome reto plural que relaciona á terceira pessoa do discurso,ou seja,de quem se fala,ou pode também ser chamada de pessoa diametralmente oposta á Eu e tu.
O site gramatica on line é legauzinho para essas questões,mas essa explicação não é de lá não.
outra coisa,é vem e não vein.Esse erro é admissível,á proproção que compreendemos que há uma tendência a repetir na escrita a nossa oralidade.Erro mais ou menos.Com leitura e um "tico" de gramática normativa,por mais chata que seja,resolve.